Power Prime Capítulo 10


Capítulo 10

Colisão


— Só pode ser brincadeira... — O queixo de Taron foi ao chão.


Ele, Troy e James estavam na enfermaria, de novo. O ultan, que estava sentado em uma cadeira, tinha em sua mão direita quatro pequenas esferas. Uma de água, uma de poeira, outra de metal e a última de ar. Todas girando em plena sintonia sobre sua palma.


— É… Taron, que isso quer dizer?


— Das três uma. Você tem mais de um poder ou pode controlar elementos específicos como ar, terra, metal e outros usando seu poder. Ou... você tem um poder maior do que parece.


— A primeira me parece besta. Quatro tipos diferentes de poderes?


— Pensei o mesmo.


— A segunda é aceitável, talvez eu possa controlar os elementos: ar, fogo, terra, água e algumas derivações.


— O furo dessa teoria é o fato de você ter movido um dos portais de Hannah — rebateu James.


— A gente nem tem certeza disso. Mas, de qualquer forma, vocês não acham a terceira opção estranha? Ela seria o que exatamente?


— Seria manipular variados atributos, basicamente. — Taron respondeu.


— Bom, acho que a melhor forma de descobrir é na prática. Precisamos testar seus poderes. — James afirmou.


— Esse tipo de frase é meu, garoto. — Taron reclamou.


— Ei, Troy — Erick entrou no quarto, surpreendentemente empolgado. — Aquilo foi incrível! Achei que você me esmagaria usando a gravidade! Parabéns pela vitória, aliás.


— O que faz aqui, Erick? — Perguntou o garoto.


— Pediram para eu vir avisar que o palco já está quase pronto para ser usado novamente.


— Que papo é esse de usar a gravidade? — Questionou James.


— Ué... Troy controlou a gravidade em um pequeno espaço para deter meus movimentos. Por isso o chão afundou onde eu estava.


Taron e Galliard encararam o ultan esperando uma resposta.


— O quê?! Eu não faço ideia do que tá acontecendo!


As quatro esferas se dissiparam e os elementos caíram ao chão.


— Droga, tô usando muita energia à toa...


Taron notou algo.


— Troy... testa isso aqui.


Novamente aquele pequeno disco lhe foi proposto.


— De novo isso? Pra quê?


— Só coloca o caramba do dedo!


Dando o braço a torcer, o jovem pôs seu dedo no centro do disquinho e então, ele brilhou em roxo.


— Pureza máxima... — James ficou pasmo.


A pureza de sua Energia do Khaos é classificada por cores. Branco, verde, azul, amarelo, vermelho, laranja e roxo.Já a quantidade era pelo número de luzes que se acendiam pelo disco. O máximo eram cinco. A quantidade de luzes acesas agora aumentou desde a última vez. Antes havia só uma, enquanto agora tinham três.


— Então é como eu pensei. Troy, seu poder é uma incrível variante. 


— Como assim, variante?


— Primeiramente, Erick, James, preciso que por enquanto mantenham silêncio sobre o que vão ver e ouvir aqui.


Ambos fizeram que sim sem hesitar.


— Quero dizer que desde seu despertar sua habilidade sofre alterações conforme a situação. Eu diria que seu poder não está totalmente adaptado a você, assim, suas emoções, desejos e pensamentos irão interferir de acordo com o uso. Pensa comigo, as reais capacidades de seu poder só se revelaram quando você chegou no mais tenso momento das batalhas contra Hannah e Erick, então, somando isso à minha teoria, você não se adaptou completamente ao seu poder.


— Mas... então eu não deveria poder fazer isso.


Troy voltou a levitar as quatro esferas.


— Mas por quanto tempo você pode fazer isso?


Os elementos mais uma vez caíram no chão.


— Durante as lutas você pôde fazer muito mais. Então, até você se adaptar ao poder, não poderá usar a totalidade de sua habilidade, mesmo sendo exposto à uma situação de vida ou morte, é provável que não possa extrair o máximo potencial. Eu não irei te proibir de usar seu poder, mas você não deve forçar demais. — Taron completou.


— Proibir? Por que você o proibiria de usar os poderes? — Perguntou James.


— Porque é muito perigoso lidar com algo tão forte e instável como o poder dele. Então, cuidado. E vocês dois, não o permitam fazer alguma idiotice.


— Ok. — Ambos responderam.


— O palco foi reparado! Por favor, todos retornem às arquibancadas! — Red avisou através dos alto-falantes.


Graças à um sistema automático, o palco e as arquibancadas puderam ser reparados. Claro que algo assim já havia sido previamente preparado, pois uma destruição como aquela já era esperada.


— Bom, vamos retornar. — Taron chamou os outros.


— Vou tentar não forçar demais, então vê se não fica preocupado.


Troy socou o ombro do homem e se adiantou para alcançar Erick e James que já estavam mais à frente.


— Humph... Quem disse que eu estou preocupado? — Taron inconscientemente sorriu.


— A terceira rodada ocorrerá da seguinte forma: haverão oito participantes que se enfrentaram um contra um como nas rodadas anteriores, porém a terceira rodada será em etapas, quartas de final, semifinal e  final! — Anunciou Arponeus.


Troy, Rex, James, Ayro, Hendric, Ben, Peter e Steve, esses seriam os finalistas. Sendo que os últimos dois eram outros candidatos que alcançaram a terceira rodada.


— Deveriam haver nove concorrentes, porém, Grey, vitorioso da segunda rodada em sua luta contra Jim, decidiu não participar da terceira rodada por motivos pessoais, assim, só terão oito concorrentes. A seguir, anunciarei as lutas!


As pessoas se atentaram aos nomes que viriam.


— James Galliard vs Ben Price; Hendric Hayward vs Ayro Alon; Troy Haron vs Peter Johnson; Trent Wayne vs Steve Ramsey!


Anunciados os adversários, os combates logo começaram. Troy e Rex venceram seus adversários depois de uma árdua batalha. Ayro tentou, porém Hendric o venceu, sem muita dificuldade.


E então, chegou a vez do último combate das quartas de final. James e Ben subiram ao palco.


— Ben. 


— James.


Ambos se encararam. A tensão de uma batalha feroz se espalhou pelo ar. Os dois eram poderosos e determinados, essa batalha prometia ser sangrenta.


— Boa sorte, amigo.


— Igualmente.


— Comecem! — Exclamou Taron.


Espinhos ósseos se formaram nas costas de Ben, seguindo a linha de sua coluna. Logo em seguida, ele quebrou um e o pegou.


— Direto da base. Pra mostrar respeito.


— É... Pra mostrar respeito... — As chamas de James se alastraram.


Ben estendeu seu braço direito e disparou uma estaca que voou a uma velocidade brutal direto até o peito de seu oponente, porém James o agarrou antes que fosse empalado e, girando seu corpo, suas chamas pipocaram ao impulsioná-lo, para então arremessar de volta  o ferrão com a mesma potência com que veio.


Price rebateu sem dificuldades o espinho dando um golpe usando o espeto ósseo vindo de sua coluna que servia como bastão.


O jovem flamejante investiu adiante usando suas chamas como propulsor e, num piscar de olhos, estava a três passos de seu adversário, levando sua mão ao pescoço do mesmo enquanto o tempo parecia passar mais devagar.


Ben aproximou sua mão esquerda à garganta de seu adversário, porém um espinho surgiu em sua palma, e foi nesse momento que James subitamente elevou a temperatura.


Price revestiu seu braço canhoto com uma camada óssea maciça e então disparou a estaca, mas as chamas de seu oponente fizeram com que ela perdesse força, dando espaço para ele desviar simplesmente afastando seu pescoço.


Logo em seguida, toda a parte frontal do corpo do rapaz foi coberta por uma camada óssea e a mão de seu concorrente alcançou sua cabeça.


Crack!


Mas para a infeliz surpresa de James, a casca rachou e quebrou, esfarelando-se ao aperto de seus dedos, era uma distração.


"À esquerda!"


Ben saiu de trás da estátua de cálcio e o raciocínio de seu competidor não foi rápido o suficiente para se esquivar do golpe que se aproximava, Galliard foi atingido nas costelas pelo bastão ósseo e arremessado para trás.


— Argh... Golpe baixo, Ben...


O local atingido estava sangrando. Deu pra ver que na estaca havia dois espinhos responsáveis pelo ferimento.


— Foi mal, James, mas é assim que eu luto.


O jovem caiu de joelhos e juntou as mãos, criando água em uma e fogo na outra.


— E é assim...


Algo interrompeu James. Olhando para o lado, ele notou uma estaca presa em seu ombro esquerdo, também viu sua iminente técnica se dissipar.


— Renda-se. — Ben se aproximou e apontou seu bastão.


— Argh... Isso dói... Caraca...


— James?


— Vê se protege! Expansão Ardente!


De repente, o rapaz liberou uma quantidade massiva de fogo que se espalhou e expandiu, o que fez Ben ser arremessado para trás.


Tamanha claridade fez a plateia desviar seu olhar. Se o palco fosse mais próximo, muitos teriam se ferido por causa do calor.


James se ergueu. Mesmo com a dor do ferimento em sua barriga o afligindo, caminhou em direção ao seu oponente.


— Ben... Renda-se!


O rapaz já estava à beira do palco e Galliard continuava emanando chamas, como um sol, o que fazia com que fosse difícil se manter perto dele por conta do tremendo calor.


Enrijecimento Ósseo!


A sua defesa já poderosa se fortificou ainda mais e um escudo se formou na sua mão esquerda, porém, se coisas continuassem assim, ele acabaria sendo jogado para fora da plataforma.


Manifestação Óssea. O poder de Ben fazia com que cálcio se manifestasse sobre sua pele através dos poros de seu corpo. Assim, ele podia o manipular da forma que quisesse, criando armas ou proteção. A habilidade vinha direto de seus ossos, que eram diariamente abastecidos com cálcio fortalecido direto da espinha, fonte de seu poder. 


Entretanto, o garoto não tinha poderes infinitos e não podia, por exemplo, cobrir totalmente seu corpo com uma armadura. Ainda mais se o Enrijecimento Ósseo, uma habilidade que fortificava uma porção de cálcio instantaneamente, estivesse aplicado.


O pé de Ben escorregou e ele quase caiu do palco, porém, fincou seu bastão no chão, e nele se segurou.


James chutou o escudo, de novo e novo.


— Argh!


O calor, os ataques e o uso contínuo de seus poderes deixaram Ben exausto, ele não aguentaria muito mais.


— Não acha que essa luta já foi longe demais? — Perguntou Red.


— Ambos podem desistir a hora que quiserem. — Respondeu Taron.


Ele sabia. Essa era a prova de fogo. Quem não pudesse se superar não teria capacidade de se tornar agente, pois em uma luta real, as coisas poderiam ir muito mais longe.


— James não teve ferimentos graves, Ben está se protegendo bem. As pessoas só devem se render quando o caminho a frente não for os levar a lugar algum, quando não houver nada do outro lado. Mas enquanto existir uma ínfima chance real...


O pé de James atingiu o escudo de novo. Se assim continuasse, Ben provavelmente seria derrotado, então algo tinha que acontecer, e tinha que ser agora!


Espinhos cruzados cresceram sobre o escudo, prendendo o pé de Galliard. Price arrancou o bastão do chão e o empurrou no ombro de seu oponente enquanto puxava o escudo para si, assim derrubando seu adversário no chão.


As poderosas chamas finalmente se apagaram. A visão de Ben ficou turva e o ambiente se escureceu. Ele se sentiu perdido por um momento.


— O que está esperando? Mate!


O jovem sentiu seu corpo se arrepiar. Olhando em volta, ele se viu em uma sala com pouca iluminação. À sua direita, a silhueta de um homem era visível.


— Benjamin.


Seu corpo tremeu e um segundo depois, ele notou sua condição. Ben estava ajoelhado, em seu braço, um espinho sangrento apontava para baixo.


“Não… Aqui não… De novo não…”


O sangue se devia à pouca maturidade do jovem. Quando mais novo, se a formação de formas ósseas fosse forçada a acelerar, sua pele e carne seriam rasgados pelo cálcio que vinha dos ossos.


— Rowrrr!


Ben logo notou que algo se debatia sob seu joelho e ao olhar viu um urso polar lutando para escapar. Ele estava muito ferido, com cortes e espinhos cravados em seu corpo que o prendiam no chão e restringiam quase todos os seus movimentos.


Porém, não era só um, havia corpos de outros animais como tigres, gorilas, cobras, e até rinocerontes espalhados pelo chão...


— Antes que a adrenalina passe, Benjamin...


A visão do jovem mais uma vez ficou turva, seu corpo se desequilibrou e uma dor lacerante o tomou. Quando conseguiu enxergar novamente, ele viu em seu corpo diversos ferimentos, mordidas de cobras, cortes por garra e até dedos quebrados.


Mate. — Aquele homem disse.


O rapaz encarou os olhos do urso, e neles viu puro desespero estampado.


— Pai… — Ben clamou enquanto lágrimas corriam por seu rosto.


— Mate. — Foi tudo que o homem disse.


Aaaah!


O espinho desceu contra a cabeça do urso.


— Acho que já chega.


Taron havia agarrado sua mão quando o espinho em seu braço estava prestes a atingir o rosto de James, que estava inconsciente. Ben voltou à realidade e finalmente notou que ele estava prestes a matar seu adversário.


— A luta está encerrada! Ben é o vencedor! — Arponeus anunciou.


Tudo não passou de um vislumbre do passado.


— Vai com calma. Tenta não pensar demais. — Taron tentou tranquilizá-lo.


— Eu...


— Você perdeu a cabeça por um momento, agora tá tudo bem.


Logo James foi levado para a enfermaria com alguns ferimentos, não muito graves.


Ele havia ficado inconsciente por causa do uso contínuo da Expansão Ardente, uma técnica muito poderosa que criava uma aura de fogo com altas temperaturas, entretanto, além do alto consumo de energia, tal técnica levava ao superaquecimento do corpo do jovem, por isso, ele usava somente em último caso.


De qualquer forma, Ben venceu a luta e as quartas de final se encerraram, dando lugar à semifinal. Hendric vs Rex; Troy vs Ben, essas foram as lutas designadas.


Passado algum tempo, a luta entre os dois primeiros se iniciou. Logo que subiu ao palco, o corpo de Trent foi coberto por uma massa cinzenta que se expandiu e tomou forma até se tornar um tiranossauro. Por outro lado, o jovem de expressão neutra que vestia uma camisa cinza com a estampa de uma estrela do caos em suas costas não se moveu um centímetro sequer, mantendo seus olhos em seu oponente.


Hendric era um estrategista, centrado e que não agia irracionalmente. Rex era o completo oposto, selvagem, impulsivo e tinha a força bruta como solução absoluta.


O dinossauro avançou, fazendo toda a plataforma tremer, e seu adversário continuou onde estava, imóvel. Taron então percebeu que havia algo sob os pés do jovem, apesar de não conseguir identificar o que.


— O que você está tramando?


Restavam somente cinco metros entre os concorrentes e as pessoas começaram a estranhar, Hendric não tomaria alguma atitude?


— Mas o que está acontecendo? — Perguntou alguém.


— Ele enlouqueceu? — Outro se questionou.


Quatro metros.


— Ué? E aí? — Jim e James estavam voltando da enfermaria quando avistaram a cena.


Três metros.


— Será que ele tem um plano? Qual é o poder dele, hein? — Troy ponderou.


De repente, uma massa prateada surgiu na palma da mão direita de Hendric, percorreu todo o seu braço e desceu por sua coluna até chegar na base de seus pés, onde se cristalizou, formando uma espessa camada de algo semelhante a metal por onde passou.


— É titânio. — Taron conseguiu identificar.


A enorme pata de Rex esmagou o chão, havia um metro entre ele e seu concorrente. E foi nesse momento que o punho direito de Hayward avançou contra ele.


— Não... Ele não vai fazer isso...


O metamorfo pretendia somente dar uma cabeçada no rapaz, assim jogando-o para fora da plataforma e encerrando a batalha, mas a realidade tende a ser dura. 


O soco de Hendric atingiu a lateral esquerda do focinho do tiranossauro, o chão abaixo de seus pés trincou e quebrou enquanto o dinossauro teve a direção de sua investida alterada.


Talvez se Rex estivesse em uma velocidade menor, teria conseguido frear e se manter no palco, mas, como não era o caso, ele se chocou com o solo.


— Hendric vence! — Arponeus anunciou.


— Tá de sacanagem... — James estava descrente.


— Um soco... — Jim se espantou.


— Sinistro. — Eles disseram em uníssono.


O público mais uma vez ficou chocado, resultando em vários burburinhos nas arquibancadas.  Quando Hendric começou a caminhar para deixar a plataforma, foi possível ver em seus pés duas longas estacas de titânio se desprendendo do chão e retornando à sua pele.


— Entendi! Por isso ele não foi arremessado para trás. Mas... de onde veio tão absurda força?


— Taron, esse garoto não é normal... Essa é a resposta. — Red justificou, também abismado.


— Não é uma resposta suficientemente boa.


O cenário que deveria ocorrer era um Hendric sendo mandado pelos ares pela investida de Rex, porém as coisas acabaram... capotando. O rapaz mostrou ser uma muralha inderrubável, mas não só isso. Para fazer o que fez, ele precisou de uma grande força e um uso correto de tal.


— Não é necessário descer do palco, Hendric. — Ben interrompeu tanto os passos de Hayward quanto a maioria das conversas paralelas que corriam à solta...


— E por que não? — Rebateu o jovem. 


— Estou desistindo da semifinal.


— Quê?! Ben, por quê? — James indagou de imediato.


— Na última batalha eu usei minhas reservas de cálcio fortalecido, as esgotando, então, se eu voltar a usar minha habilidade, poderei acabar me ferindo. Não há porquê atrasar os jogos. Pulem logo para a final. Troy luta com você, não é, Troy?


Os olhos de Hendric se prenderam ao seu possível novo concorrente, fazendo-o ter um pequeno arrepio. A forma com que ele derrotou cada um de seus adversários usando sua força esmagadora, isso ainda estava fresco na mente do ultan. 


Se esse é o seu oponente, seria o mais difícil que já enfrentara.


— É claro que luto! — Engolindo qualquer receio, Troy afirmou firmemente.


— Você tem certeza disso, Ben? — Perguntou Red.


— Tenho. 


— Então assim será feito. Ben está fora da semifinal, que agora se encerrou. Portanto, chegamos à final! Troy Haron vs Hendric Hayward! — Taron anunciou.


A plateia se animou. De um lado aquele que conseguiu vencer suas batalhas e surpreender a todos no último momento, do outro, aquele que venceu todas as suas batalhas sem precisar de mais do que três golpes. Essa luta prometia.


E lá estavam eles no palco. 


— Não é que eu me importe em te esmagar, mas é melhor desistir — disse Hendric.


— Já cheguei até aqui, agora não há volta! — Troy respondeu.


Hayward então assumiu uma postura completamente séria.


— Por que quer se tornar agente? — Ele perguntou.


— Para ajudar pessoas.


— E acha que consegue?


— Acho que sim.


— Chega de conversa! Comecem! — Arponeus exclamou.


Haviam cinco metros entre eles. Ambos não fizeram nada durante três segundos. Até Troy tomar a iniciativa.


Uma rajada de vento bateu e passou por Hendric até chegar na plateia. As pessoas tiveram que segurar suas coisas para que não fossem levadas pelo ar.


— É impressão minha ou o Troy está mais forte? — James perguntou à Erick.


— Não é impressão, ele está mais forte. Porém, ele pode chegar ainda mais longe.


— Mas isso depende de múltiplos fatores, assim como Taron disse, certo?


— É.


Mais uma vez o vento bateu contra o jovem.


— Caramba! Ele nem se mexe!


Hendric avançou de repente.


— Droga!


Troy lançou uma parede de ar que o atingiu fortemente, mas não o afetou minimamente. Imparável, Hendric deu uma joelhada em direção ao seu estômago que o ultan, por pouco, aparou com as duas mãos.


Titânio cobriu o punho direito de Hayward, que com ele atingiu o rosto de seu oponente logo em seguida. O rapaz sentiu ser atingido por uma marreta e foi jogado para trás, caindo no chão.


"Caramba! O que foi isso...?"


Sangue escorria de seu nariz.


A força para parar um dinossauro já era esperada, mas essa velocidade...


— Fique no chão — disse Hendric.


Troy limpou o sangue e se levantou sentindo uma forte dor de cabeça.


— Posso fazer isso o dia todo.


— Aí sim! Com bordão e tudo! — O entusiasmo tomou Jim.


A plateia se agitou vendo que o concorrente não havia se abalado.


O chão abaixo dos pés do ultan se agitou e rachou.


— Vamos, vamos!


Troy tentou manipular o solo, porém, nada aconteceu. Hendric não esperou até que ele conseguisse, e então mais uma vez atingiu o garoto, que em reflexo pôs seus braços na frente do ataque.


Um choque se distribuiu por seu corpo, e com mais um golpe, Hayward o mandou direto para a beira do palco.


O ultan cambaleou e, antes que conseguisse se estabilizar, Hendric lhe aplicou um chute alto no rosto.


Os ataques continuaram a vir. Socos e chutes, no rosto, nos braços, no tórax. Não era mais uma luta, era um espancamento.


O ombro esquerdo de Troy levou um soco e foi possível ouvir o osso se deslocando, seu abdômen foi atingido uma, duas, três vezes seguidas.


— Esse método é brutal demais... Vocês não deveriam o parar? — Um espectador cansado de assistir aquela surra questionou os juízes. 


— Se Hendric quisesse, teria derrubado Troy no primeiro soco, então é óbvio que ele está estendendo a luta, porém, Troy continua de pé. — Arponeus explicou.


— Por isso, as coisas se resolverão agora. — Taron suspirou. Ver o sofrimento do garoto já estava insuportável para ele. — Hendric já espancou Troy o bastante, creio ele encerrará a luta agora. 


— Argh... Meus braços... Meu corpo... Que dor... — O ultan murmurou, esforçando-se para permanecer de pé.


Porém, Hendric o derrubou com mais uma joelhada no estômago, fazendo-o cair de joelhos no chão.


— Ainda acha que consegue ajudar pessoas?


— A…cho.


Hendric socou seu rosto, fazendo-o cair de cara no chão, manchando-se ainda mais no próprio sangue.


— Existem coisas e pessoas que não podem ser derrotadas usando determinação. E alguém que recebeu força e ajuda não consegue evoluir sem o acaso. O mundo não é um lugar bonito.


Troy agarrou a canela do jovem.


— Não... vou... desistir…


— Ossos quebrados, hemorragia e múltiplos hematomas. Palavras vazias não irão mudar nada.


Apoiando-se sobre seu braço direito e então sobre seu joelho, o garoto se pôs de pé, mesmo que suas pernas ameaçassem deixá-lo cair. 


— Palavras vazias? 


O ultan socou contra Hendric, porém o ataque foi parado.


— A diferença entre nós é gigantesca.


Hayward torceu seu pulso, quebrando-o.


— Aaaahhh!


— Droga! Isso tem que parar agora!


— Parem isso! A vitória já é dele!


— Isso já foi longe demais!


Gritos de revolta da plateia soaram.


— Eita, o que diabos está havendo? — Um homem surpreendeu Taron.


— Jonas? 


— E aí, Sr. Taron? Espera, aquele é o Troy? Aquele garoto está detonando ele! Vocês não vão o parar?


— Argh... Droga... — O jovem surrado olhou para sua mão acabada.


Hayward soltou o pulso de seu oponente, que mais uma vez não se aguentou de pé.


— Já chega! A luta está encerrada. — Arponeus anunciou.


O público respirou aliviado por Troy, e Hendric se encaminhou para descer do palco sem sequer olhar para trás.


— Hendric... Nossa luta não acabou! Eu não sei porque tá todo mundo preocupado, eu tô bem. — O ultan falou com todas as suas forças.


— E esse sangue no seu rosto? 


— Tropecei e bati a cara no chão.


— Troy, chega. 


— Tá tudo bem, Taron.


Ele se levantou, limpou o sangue e a sujeira e balançou seu braço direito, mostrando seu estado.


— Não se preocupe. Eu sei quando é hora de parar e tenho certeza que não é agora!


— Eu vou te esmagar. — Hendric voltou a ficar frente a frente com o jovem.


Mais e mais pessoas começaram a chegar para assistir a luta, que havia tomado um rumo imprevisível.


— Arponeus — falou Taron.


— A vitória de Hendric está revogada! A final continua!


A plateia voltou a se agitar.


"Meu braço esquerdo já está inutilizado. Eu já estou bem lesionado. Enquanto ele está em perfeitas condições... Eu tenho que usar..."


O chão voltou a tremer, entretanto, antes que algo ocorresse, Hendric partiu para cima desferindo um soco no rosto de Troy, que desviou dando um passo para trás.


Logo em seguida, o ultan foi atingido por um golpe direto no rosto. Troy caiu para trás, mas se levantou rapidamente. Em sua mão direita se formou a Esfera de Ar Comprimido. Em contra partida, uma camada mais espessa de titânio cobriu os braços de Hayward.


— Pode vir, Hendric!


Um investiu contra o outro e os dois se chocaram no próximo segundo.


Todos esperavam um embate de forças, porém o resultado foi distinto. Os punhos de ambos estavam prestes a colidirem, mas o ataque do ultan fugiu do impacto, permitindo que o golpe de seu adversário atingisse seu rosto.


No entanto, enquanto o corpo de Troy pendia para trás, a Esfera de Ar Comprimido atingiu o peito de Hendric, e então ambos foram jogados para trás.


“Se eu não tivesse me protegido seria um grande dano.”


Um buraco se abriu na camisa do rapaz, o ponto onde o orbe de vento atingiu estava levemente marcado.


“Essa luta…”


Antes que pudesse completar seu pensamento, Hendric viu seu oponente se aproximar. Ele, que ainda estava no chão, se levantou e aparou o soco que Troy o infligiu.


Hayward ainda agarrou o pulso do ultan numa tentativa de o quebrar, porém, recebeu uma forte cabeçada em resposta. E por mais que tenha sido afastado por causa da imprevisibilidade, ele continuou ileso.


O chão tremeu novamente.


— Droga!


Não importava o quanto Troy tentava, ele não conseguia alcançar os mesmos resultados da sua luta contra Erick.


Crack!


No seu momento de distração, o garoto recebeu um golpe no abdômen que fez possível escutar mais ossos estalando e que o arremessou para trás.


Mais uma vez no chão.


Hendric surgiu ao alcance de seus olhos e antes que Troy pudesse fazer algo, ele teve seu tórax pisoteado.


Hayward aplicou um soco, mas o ultan moveu sua cabeça, desviando do ataque que se chocou com o solo. O rapaz atacou mais uma vez, porém a exata mesma coisa aconteceu.


Titânio cobriu seu punho e um poderoso golpe final foi preparado.


— Tome cuidado com o que fará a seguir, Hendric. — Arponeus avisou solenemente.


A luta já havia passado dos limites e todos sabiam disso. Hendric parou de atacar por um momento e ali estava a abertura que Troy precisava.


Uma chave de braço!


As pernas do ultan envolveram o braço direito de seu adversário, derrubando-o no chão. Dois socos no rosto de Hendric, antes de sua alta resistência titânica ser ativada, foi o que Troy conseguiu. Ele levou socos, mas antes que se soltasse...


Esfera de Ar Comprimido!


O ataque mais poderoso do garoto esmagou contra o rosto de Hendric, que foi jogado para trás.


— Aí! Finalmente!


— É isso aí! Você consegue, garoto!


— Boa! Tá na hora do contra ataque!


A plateia se exaltou e a maioria torceu fortemente por Troy. Ambos os concorrentes voltaram a ficar de pé.


"Eu preciso que você funcione!" O ultan gritou internamente.


Dessa vez, o chão nem tremeu, nada aconteceu.


— Você não é inútil como eu pensava, mas isso não muda muita coisa. 


— Hendric... Eu sou lerdo quando se trata de coisas subjetivas.


— Vê nosso sangue no chão?


Havia bastante sangue pelo palco, quase todo de Troy.


— Esse é o nosso caminho. Dos Khaostic. O sangue dos que foram derrotados. O sangue dos que sofreram. E o sangue que ainda será derramado. A maioria dos que estão nesse complexo conhecem o sangue.


O ultan sentiu frustração. Sangue? Quer dizer que as pessoas passaram por coisas horríveis? Traumas? Mortos?


— Você não entende, Haron. Isso aqui não é a realização de um sonho lindo, é a luta por algo maior. 


— Para alguém que não me conhece, você fala bastante. Vou mostrar para você. Vou mostrar que eu mereço estar aqui! Que você não precisa se afundar em sangue para alcançar seus objetivos! Vou fazer isso, nem que eu tenha que me quebrar inteiro!


— Então será o round final.


— Sim, a próxima queda será a última!


Titânio cobriu os braços, o pescoço, a coluna e até os pés de Hendric.


"Um poder... que controla o ar, a terra, metal, água. Interfere em Poderes do Khaos, interfere na gravidade... Um poder que manipula, que controla... Um poder que manipula, um poder que controla... Manipulação total... Controle total..."


— All Control!


O ar soprou violentamente, o chão quebrou e até a gravidade se alterou. Um círculo dourado com três linhas que se distanciavam de sua base surgiu nos olhos de Troy.


Um punhado de pedras começou a orbitar seu braço direito, junto de um vento intenso. Faíscas foram geradas pelo atrito entre os metais e então chamas surgiram em volta do membro, cortes profundos começaram a se acumular e o sangue que deles saiu se misturou aos outros elementos, tudo em constante rotação.


Titânio Pesado!


Uma camada de metal três vezes maior e mais resistente que o normal cobriu o braço direito de Hendric.


Ambos estavam em seu mais poderoso estado. Essa batalha estava para acabar.


Ambos fecharam a distância entre si para o choque final.


— Essa luta se encerra aqui! 


Arponeus gritou e disparou dois arpões através de seus braços que cravaram no palco e que ele usou para ir até lá. A armadura de Taron foi rapidamente ativada, cobrindo seu corpo e avançando ao palco. Por mais que tenha sido uma boa tentativa, eles não chegaram a tempo.


Os ataques colidiram. Sangue espirrou.